México: arte, cultura e beleza pré-colombianas

07/06/2018 Life Style

O México é ma metrópole que tem raízes pré-colombianas e coloniais, mescla tradição e cosmopolitismo e abriga diversas atrações culturais. Assim é a Cidade do México, habitada desde o século XIV. Então capital do Império Asteca, a urbe foi violentamente dominada e arrasada pelos espanhóis no século XVI, tornando-se uma das mais importantes povoações das Américas.

É essa mistura forçada de europeus e indígenas que originou a atual sociedade mexicana, cujos reflexos são facilmente notados na capital do país. A gastronomia, a solicitude do povo e as obras de diferentes períodos exibidas na Cidade do México são um prato cheio para turistas, ali brindados com experiências únicas e surpreendentes.

Para conhecer melhor o contexto histórico do país, é conveniente começar a visita à capital mexicana pelo Museu Nacional de Antropologia. O edifício modernista, cujo projeto é assinado por Pedro Ramírez Vásquez, um dos mais importantes arquitetos do México, abriga uma infinidade de obras originárias de diferentes civilizações pré-colombianas que habitaram o país. A peça mais famosa do acervo, uma pedra solar asteca – que muitos pensam, erroneamente, se tratar de um calendário –, ocupa posição de destaque.

O museu foi construído dentro do parque de Chapultepec, igualmente digno de uma visita. Não apenas para desfrutar da área verde, mas também para conhecer um dos exemplares arquitetônicos da segunda fase à qual a cidade foi submetida: a colonial. Construído por espanhóis no século XVIII, o Castelo de Chapultepec está incrustado em uma colina envolta pela vegetação. Concebido para ser um palácio, teve diferentes usos e, hoje, abriga um museu histórico.

Frida Kahlo e Diego Rivera

Foi no século XX, após a independência do país, que a capital abrigou aqueles que se tornariam seus mais famosos personagens: Frida Kahlo e Diego Rivera. A história de amor entre dois dos mais geniais pintores que o mundo já viu teve, durante a maior parte do tempo, a Cidade do México como pano de fundo.

As principais obras de Diego Rivera não ficam em museus: os enormes murais do pintor estão afixados em edificações públicas. Os mais famosos estão no Palácio Nacional, sede do governo mexicano, e na Secretaria de Educação. A visita é gratuita, mas os horários são limitados ao funcionamento dos órgãos federais. Já as pinturas mais famosas de Frida Kahlo estão no museu que leva seu nome, conhecido popularmente como Casa Azul, no charmoso bairro de Coyoacán.

Resultado de imagem para Casa Azul, no charmoso bairro de Coyoacán

A residência pertenceu originalmente aos pais de Frida. Foi lá que ela passou a infância e enfrentou um doloroso processo de recuperação após o acidente de ônibus que quase lhe tirou a vida, ainda na juventude, e que marcou definitivamente sua vida e sua obra. Posteriormente, foi a moradia da artista com seu marido, Diego Rivera. É possível visitar, entre outros cômodos, o jardim onde Frida se inspirava, a cozinha onde eram produzidos os pratos preferidos do casal, o ateliê e o quarto onde ela passou os últimos dias de vida. No acervo, estão as obras mais importantes da pintora.

Trotsky

A poucos quarteirões dali, situa-se o museu Trotsky, no imóvel onde o intelectual marxista viveu seus últimos anos. Ele se mudou para o México a convite do próprio Diego Rivera, ao ser exilado da União Soviética. A residência preserva muros, guaritas e portas blindadas, artifícios que não conseguiram impedir o assassinato do ex-líder.

Resultado de imagem para museu Trotsky

Um passeio a pé por suas charmosas ruas, que percorre o mercado local e é seguido de uma refeição em um dos restaurantes em frente ao parque Centenário é uma boa maneira de terminar a visita ao Coyoacán.

Para conhecer um pouco mais a cultura mexicana, está em cartaz “Viva: A Vida é Uma Festa”, candidato ao Oscar de animação

Templos são atrações importantes

“É possível encontrar mexicanos que são ao mesmo tempo ateus e guadalupanos”. O ditado, ouvido no país, parece fazer todo sentido: mesmo para quem não é religioso, é difícil não se impressionar com a devoção do povo e, consequentemente, com os santuários existentes no país. Não por acaso, a Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe é um dos pontos turísticos mais importantes da Cidade do México.

Resultado de imagem para basílica de nossa senhora de guadalupe no méxico

Erguida em 1976, a nova basílica tem o estilo modernista característico do arquiteto Pedro Ramírez Vásquez. O edifício situa-se em um complexo católico que inclui também a antiga basílica, concluída no século XVII, batistério, capelas e mercado de artigos religiosos, além de uma esplanada e do monte Tepeyac, onde a Virgem teria aparecido e que, hoje, serve de base para vários jardins. O conjunto impressiona pela beleza e pela grandiosidade.

Outra visita praticamente obrigatória é à Catedral Metropolitana, localizada na praça da Constituição, a principal da Cidade do México. Dedicada à Assunção da Virgem Maria aos Céus, o suntuoso edifício, em estilo colonial espanhol, foi construído entre os séculos XVI e XIX e, atualmente, ostenta o título de Patrimônio Mundial da Unesco. Os altares, a cátedra, as imagens sacras e os órgãos de tubos existentes no local pedem olhares atentos e sem pressa, para que o turista possa apreciar os detalhes da ornamentação.

Dança

Espetáculo. A Cidade do México é sede da companhia de balé folclórico do país, fundado em 1952. O corpo de dança, que reúne bailarinos de formação erudita, encena de maneira artística e profissional as tradições do país.
Resultado de imagem para Balé Folclórico do México

Palco.Entre os locais em que o Balé Folclórico do México se apresenta está o Palácio de Belas Artes, principal teatro de ópera do país, um suntuoso edifício inaugurado no início do século XX. O local abriga ainda dois museus: um dedicado à arte e outro, à arquitetura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *