Como usar plantas em projeto de interiores?

O uso de plantas em projeto de interiores está cada vez mais em alta – e não é por acaso. Mais do que decorar, alguns tipos de vegetação têm finalidades terapêuticas, promovendo benefícios físicos e mentais.

De acordo com estudo publicado em 2019 pela Revista Psicologia Argumento, da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná), entre os fatores que levam as pessoas a cultivarem as plantinhas estão:

– O estímulo visual, proveniente da beleza de cada espécie
– A percepção da vegetação como elemento restaurador, trazendo paz, tranquilidade e bem-estar
– A melhora da qualidade do ar
– As questões pró-ambientais

paisagismo é feito pelo homem – e para o homem. Portanto, o ideal é que o uso de plantas esteja de acordo com a arquitetura, levando em conta a localização, o clima e, principalmente, o estilo de vida das pessoas

Para mostrar como é fácil trazer a natureza para dentro de casa – ou do escritório –, reunimos uma lista com 6 espécies de plantas para projetos de interiores. Confira!

Como usar plantas em projeto de interiores?

1 – Fitônias

Resultado de imagem para Plantas-Mosaico”

Também conhecidas como “Plantas-Mosaico”, as Fitônias crescem em espaços com muito calor, luz, umidade e solo fofo. Pequenas e ovais, suas folhas têm diversas combinações de tons e nervuras, formando um lindo efeito de mosaico. Com enraizamento fácil, podem viver confortavelmente em terrários, vasos ou canteiros.

2 – Ficus Lyrata

Resultado de imagem para Ficus Lyrata

Totalmente adaptada a ambientes naturalmente iluminados e aconchegantes, a Ficus Lyrata é uma arvorezinha tropical fácil de cultivar e que proporciona bastante verde aos ambientes. Com crescimento vertical e próximo à extensão do caule, possui folhas grandes, onduladas e brilhantes.

3 – Marantas

Resultado de imagem para Marantas

Integrantes do “time” das espécies estampadas, as Marantas também são conhecidas como “plantas rezadeiras”, pois unem e recolhem as próprias folhas ao anoitecer. Para elas, solo úmido e meia-sombra acompanhados de duas a três regas por semana é o ideal. Fique atento à exposição do sol, já que o excesso da luz pode queimar a folhagem.

4 – Costela-de-adão

Nativa do México, a Costela-de-adão pode viver muito bem na sombra ou na meia-sombra, com solo úmido (não encharcado) e eventuais borrifadas nas folhas. Vez ou outra é necessário limpar a frente e o verso dessas plantas com auxílio de toalha de algodão ou papel. Use luvas ao manuseá-las, pois sua seiva é tóxica e não pode entrar em contato com a pele.

5 – Pacová

Resultado de imagem para Pacová

Natural do Brasil, a Pacová ou “Babosa de Árvore” é imponente, espaçosa e chama a atenção por sua folhagem de cor verde intensa e brilhante. Não exige muitos cuidados: basta ser colocada em vasos, ficar na sombra ou na meia-sombra. Deve ser regada semanalmente e adubada uma vez a cada seis meses.

6– Samambaia

Como todas as outras espécies, a samambaia possui tipos com vários tamanhos, formatos e colorações. Começou a enfeitar as casas entre as décadas de 70 e 90 e, agora, voltou com tudo para os projetos de interiores que possuem iluminação natural. Amantes de solo úmido, exigem terra rica em nutrientes e regas em dias alternados.

Você tem uma planta preferida? Agora que já mostramos algumas opções, deixe a criatividade rolar na hora de decorar sua casa, escritório, loja ou qualquer outro ambiente com plantas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *